escolaeducadores@planneta.com.br
   (11) 3607-2193


O projeto ESCOLA DE EDUCADORES, uma ação da Secretaria de Educação de Osasco em parceria com a empresa Planneta, tem por objetivo aperfeiçoar a atuação dos educadores e gestores e os saberes necessários à sua atividade, contribuindo para a melhoria da compreensão dos processos de ensino-aprendizagem, da elaboração de atividades pedagógicas, bem como desenvolver intervenções inovadoras nos contextos de desempenho profissional, por meio de estudos, pesquisa, reflexão e ação sobre a prática, com o objetivo de assegurar um ensino de melhor qualidade aos alunos.

Estão programadas oficinas com diversos temas nos seguintes eixos: gestão da sala de aula, educação especial e inclusiva, tecnologia, neurociência, música, brincadeiras, jogos, arte, transtornos de aprendizagem, psicomotricidade, leitura e escrita.

Os interessados poderão se inscrever em até 2 oficinas, de livre escolha, por período.

As vagas são limitadas e as inscrições ficarão abertas até o preenchimento das turmas.

Os certificados serão entregues ao final de cada período.

PÚBLICO-ALVO
Educadores da Rede Municipal de Ensino de Osasco.

METODOLOGIA
Aulas presenciais e a distância no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

CARGA HORÁRIA
As oficinas terão carga horária de 30 horas, distribuídas da seguinte forma:
• 05 aulas presenciais de 4 horas, totalizando 20 horas
• Atividades no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), totalizando 10 horas
As aulas presenciais serão quinzenais e aos sábados, das 8h às 12h.

LOCAL DE REALIZAÇÃO DAS AULAS PRESENCIAIS
Centro Municipal de Formação Continuada dos Profissionais da Educação
Av. Mal. Rondon, 263 - Centro

INFORMAÇÕES:
Equipe Escola de Educadores
Tel. (11) 3607-2193
escolaeducadores@planneta.com.br




Clique no tema de interesse e realize a sua inscrição


Calendário das aulas (Clique aqui)


Período 1: Oficinas de maio a julho de 2019


BNCC e os Campos de Experiência
Oralidade na sala de aula
Como lidar com os transtornos e distúrbios de aprendizagem

Jogos como estratégias de aprendizagem







BNCC - Ideias e Práticas na Educação Infantil: traços, sons, cores e formas

BNCC: Como aproximar as Competências Gerais da BNCC do currículo e práticas pedagógicas.

Avaliação na Educação Infantil: observação e intervenção pedagógica

O que se lê e o que se entende: aluno leitor-autor



Período 2: Oficinas de agosto a outubro de 2019










O que se fala e o que se escreve: Oralidade e Escrita

Metodologias ativas e Aprendizagem cooperativa - A prática na sala de aula
Neurociências aplicada à educação: estratégias para motivar os alunos

BNCC - Ideias e Práticas na Educação Infantil: corpo, gestos e movimentos







BNCC - Ciências da Natureza: como trabalhar com metodologias investigativas

Arte no Ensino Fundamental

Matemática em contexto: a aplicabilidade da Matemática no cotidiano
Práticas pedagógicas inclusivas: jogos e recursos pedagógicos adaptados



Período 3: Oficinas de novembro de 2019 a março de 2020









Alfabetização divertida: construindo situações interativas para a apropriação da escrita

Como brincar com bebês para que se desenvolvam?

Práticas facilitadoras no processo avaliativo perante os transtornos de aprendizagem

Novas tecnologias e metodologias inovadoras na educação contemporânea






Musicalização e técnicas de contação de histórias

BNCC - Ciências Humanas: História e Geografia

O corpo na educação: brincadeiras, jogos e dança

Gestão da sala de aula e estratégias de intervenção: como lidar com a indisciplina na escola






X

Oralidade na sala de aula

Essa oficina terá por objetivo trazer referências teóricas e práticas de como trabalhar com os gêneros orais em sala de aula. Iremos apresentar estratégias de trabalhos com a oralidade no Ensino Fundamental.

X

BNCC e os Campos de Experiência

A BNCC da Educação Infantil estabelece seis direitos de aprendizagem. Para contemplá-los, o professor precisa tê-los em mente para garantir que as experiências propostas estejam de acordo com os aspectos considerados fundamentais no processo. Sendo assim, os campos de experiência são organizados de forma a apoiar o professor no planejamento de sua prática intencional.

X

Como lidar com os transtornos e distúrbios de aprendizagem

A proposta consiste em abordar os distúrbios de aprendizagem, a partir de uma perspectiva pedagógica, buscando apresentar elementos teóricos e práticos que possam contribuir para uma melhor atuação dentro da sala de aula. Também será abordado a importância de se observar os alunos e valorizar suas produções a partir de uma abordagem individualizada. Observaremos que diversos problemas de aprendizagem podem ser manejados em sala de aula a partir de estratégias pedagógicas. A oficina traz o conhecimento dos principais distúrbios de aprendizagem e de como o professor deve conduzir a aula para que todos seus alunos possam ser contemplados no processo de ensino-aprendizagem.

X

Jogos como estratégias de aprendizagem

Com a utilização de um jogo, os alunos aprendem a aprender, a estudar, a investigar, a tomar decisões, a analisar as condições, levantar hipóteses, entre outros. É importante conscientizar que o jogo não é apenas um entretenimento, pois também envolve responsabilidade, respeito pelos demais jogadores e pelo grupo em geral, uma vez que não se trata de passar algum tempo brincando, mas de aprender, de forma divertida, o máximo possível. Essa oficina trará diversos jogos, destacando a intencionalidade didática.

X

BNCC - Ideias e Práticas na Educação Infantil: traços, sons, cores e formas

Essa oficina promoverá a sensibilidade investigativa em um Campo de Experiência da BNCC, valorizando a atividades produtiva das crianças nas diferentes situações das quais participam, envolvendo desenho, cultura, escultura, modelagem, colagem, gravuras, etc.

X

BNCC: Como aproximar as Competências Gerais da BNCC do currículo e práticas pedagógicas.

Essa oficina abordará os seguintes assuntos: Habilidades e competências da BNCC de maneira prática; Entender, traduzir e aplicar em sala de aula o que está definido na BNCC; As dimensões para orientar o processo de implementação da BNCC; A Base Nacional Comum Curricular e as contemporâneas concepções de educação - Como integrar a realidade ao conteúdo teórico?; Como problematizar e ressignificar os conteúdos?; Como desenvolver as habilidades e competências da BNCC?; Avaliação: Como avaliar o desenvolvimento das habilidades da BNCC?; Os níveis, as áreas de conhecimento e os componentes curriculares; Competências específicas, habilidades, unidades temáticas e objetos de conhecimento; Elaborar Plano de Aula por ano/área/componente curricular; Simular uma prática pedagógica: metodologia e avaliação.

X

Avaliação na Educação Infantil: observação e intervenção pedagógica

Refletir sobre a importância da avaliação na Educação Infantil; Refletir sobre o olhar ampliado dos educadores com a função de intervir pedagogicamente; Refletir sobre a prática dos diversos tipos de avaliação com finalidade pedagógica; Comentar e analisar os instrumentos de avaliação; Orientar como observar e como intervir no desenvolvimento e aprendizagem das crianças de 0 a 5 anos.

X

Práticas pedagógicas inclusivas: jogos e recursos pedagógicos adaptados

Jogos adaptados é um recurso que favorece a aprendizagem. O objetivo desta oficina é ampliar os conhecimentos e práticas desse trabalho com a aplicação de jogos e recursos pedagógicos adaptados. Para utilizar os recursos ajustados para as diferentes situações e dificuldades do aluno, é necessário a identificação das necessidades e habilidades físicas, cognitivas, sensoriais, perceptivas, e de linguagem oral e escrita do aluno com deficiência.

X

Alfabetização divertida: construindo situações interativas para a apropriação da escrita

Por meio de jogos e histórias lúdicas é possível tornar o processo de alfabetização prazeroso, de forma globalizada e interdisciplinar, e significativo. O objetivo da oficina é apresentar noções fundamentais para alfabetizar de forma contextualizada e demonstrar jogos, histórias e brincadeiras para alfabetização, subsidiando o professor para essa prática.

X

Metodologias ativas e Aprendizagem cooperativa - A prática na sala de aula

A sala de aula contemporânea está em processo de transformação. Nossos alunos recebem estímulos diversos da mídia, de suas famílias, do mundo em que estão inseridos e, ao mesmo tempo, querem que suas escolas sejam parte dessa mudança. Os educadores também almejam trabalhar de forma diferenciada, buscamos fontes para tornar as aulas mais envolventes e engajadoras. Práticas educacionais como a Aprendizagem Cooperativa auxiliam na implementação de estratégias pedagógicas de sucesso e o uso de Metodologias ativas faz com que o aluno se torne protagonista do ensino-aprendizagem, criando autonomia e estimulando a motivação para aprender entre os alunos.

X

Neurociências aplicada à educação: estratégias para motivar os alunos

Essa oficina abordará como se dá o processo de aprendizagem da criança e como o professor poderá facilitar a aprendizagem por meio de diferentes recursos e estratégias, que levem em conta os aspectos neurológicos desse processo. Serão vistos exemplos de atividades musicais, brincadeiras e histórias que favoreçam a aquisição dos conteúdos programáticos e estratégias para estimular áreas cerebrais dos alunos favorecendo a aquisição do conhecimento por meio de uma aprendizagem criativa.

X

BNCC - Ciências da Natureza: como trabalhar com metodologias investigativas

Essa oficina visa instrumentalizar o professor para que ele desenvolva as habilidades e competências das Ciências da Natureza através de estratégias que tornem o aluno um protagonista do processo investigativo. Tendo como norte a BNCC, refletiremos acerca das práticas e percurso em sala de aula, podendo assim aprimorar o trabalho docente para que se torne cada vez mais significativo.

X

Arte no Ensino Fundamental

Essa oficina visa oportunizar vivências em situações que envolvam apreciação, produção e fruição da arte em sala de aula. A arte é uma das mais completas formas de expressão do ser humano. Por isso, é muito importante que nossas crianças entrem em contato com diferentes tipos de manifestação artística desde cedo, para que possam desenvolver a percepção, sensibilidade, imaginação, criatividade, cognição e intuição. Dessa forma, a oficina propõe atividades nas quais os alunos, de 6 a 10 anos, terão a oportunidade de trabalhar com variados materiais e técnicas.

X

Matemática em contexto: a aplicabilidade da Matemática no cotidiano

A oficina tem por objetivo levar os educadores a uma reflexão prática sobre o trabalho com matemática no Ensino Fundamental I e desenvolver um ensino de matemática que leve em conta habilidades de raciocínio lógico-matemático, permitindo ao aluno sua utilização na resolução de situações problema de seu cotidiano. A oficina trará ideias para o ensino da Matemática, de forma didática e contextualizada para que alunos possam aprender de forma significativa.

X

BNCC - Ciências Humanas: História e Geografia

A partir do proposto na BNCC para a área de Ciências Humanas, discutiremos como realizar a transposição didática entre o que indica o documento e o trabalho na sala de aula, sugerindo algumas práticas e propondo reflexões para auxiliar o professor no seu percurso. O principal objetivo é, portanto, contribuir com a formação docente para que suas práticas possam ser aprimoradas e promover aprendizagens cada vez mais significativas.

X

O corpo na educação: brincadeiras, jogos e dança

A oficina tratará dos seguintes assuntos: Vivenciar e experimentar jogos, brincadeiras e danças coletivas; Explorar e apropriar-se do movimento em seus diferentes aspectos expressivos e estruturais, para além de sua funcionalidade de caráter instrumental; Trabalhar a postura do professor, aperfeiçoando a intervenção nas diversas brincadeiras; Refletir sobre o jogo como mecanismo de aprendizagem e desenvolvimento infantil; Refletir sobre a importância de recursos lúdicos como os jogos e brincadeiras na formação integral da criança; Ampliar o repertório de jogos para ser desenvolvido na prática docente com as crianças pequenas; Planejar ambientes lúdicos adequados às necessidades e interesses das crianças; Organizar e estruturar o espaço de forma a respeitar na criança a necessidade de brincar, visando facilitar a escolha das brincadeiras, a interação entre as faixas etárias e a valorização das brincadeiras antigas e de diferentes culturas; Cuidar da manutenção dos brinquedos e dos materiais utilizados; Estimular a elaboração de combinados com os alunos, o respeito entre os colegas, cuidado e proteção para segurança e a prática de atitudes cooperativas entre eles.

X

O que se lê e o que se entende: aluno leitor-autor

Em ambiente favorável, onde a literatura é apresentada sem restrições e nem imposições, o leitor exerce com autonomia e fascínio a prática da leitura, transformando o ato de ler num relacionamento espontâneo, dialógico e afetivo com o texto. Desse modo, além de ultrapassar a fronteira da mera decifração dos signos linguísticos, começa a delinear uma nova visão de mundo e de leitura. A oficina tem como objetivos promover a interação e a reflexão sobre a leitura de sentidos de palavras em diferentes contextos e suportes, bem como o estímulo da produção escrita espontânea e criativa, a apresentação de múltiplas visões dos alunos e a colocação deles como sujeitos no processo.

X

Como brincar com bebês para que se desenvolvam?

Essa oficina abordará elementos importantes sobre o desenvolvimento saudável de crianças de 0 a 3 anos, por meio de brincadeiras. Profissionais de creches poderão entender melhor como ocorre o desenvolvimento de cada criança nessa fase de vida e como cada uma de suas habilidades poderá ser estimulada, auxiliando no seu desenvolvimento físico, cognitivo, social, emocional e cultural.

X

Práticas facilitadoras no processo avaliativo perante os transtornos de aprendizagem

A oficina possibilitará o domínio de métodos, instrumentos e práticas pedagógicas para uma avaliação adequada de acordo com as dificuldades apresentadas tais como: dislexia, disgrafia, discalculia, TDAH, entre outros. Visa também apresentar estratégias de intervenção em contexto de sala de aula, aumentando a probabilidade de sucesso no processo ensino e aprendizagem.

X

Novas tecnologias e metodologias inovadoras na educação contemporânea

Essa oficina contribuirá na formação dos profissionais, oferecendo a eles reflexões sobre Educação, Cultura, Função social da escola e sobre o papel das novas tecnologias no espaço educativo. Apresentará reflexões acerca da teoria e da prática no uso das ferramentas tecnológicas na educação, considerações e sugestões de trabalho, principalmente no tocante à Cultura Digital, prevista na BNCC.

X

Musicalização e técnicas de contação de histórias

As técnicas de contação de histórias devem ser utilizadas para promover a curiosidade, ludicidade, encantamento e questionamento pelas crianças, pois isso faz parte do processo: o conhecimento e exploração do mundo pela mesma. No momento da contação de histórias podemos fantasiar a realidade e as crianças não devem ser meros espectadores mas participar deste momento lúdico. Essa oficina abordará os seguintes assuntos: Técnicas, repertórios e recursos para histórias; Brincadeiras cantadas; Brincadeiras sonoras e jogos musicais; Percussão corporal; Atividades Psicomotoras.

X

O que se fala e o que se escreve: Oralidade e Escrita

Fala e escrita são duas instâncias diferentes da linguagem, mas que andam lado a lado e que em determinados momentos se associam mutuamente. A falta de atividades nas aulas de língua materna com a modalidade oral em contraponto com a modalidade escrita por meio de gêneros discursivos adequados são fatores que contribuem para que os alunos não consigam distinguir a gramática da modalidade oral, o que compromete o processo e aquisição de letramento.

X

BNCC - Ideias e Práticas na Educação Infantil: corpo, gestos e movimentos

Essa oficina tem por objetivo examinar um Campo de Experiência da BNCC, com situações de brincadeiras nas quais as crianças exploram o espaço com o corpo e as diferentes formas de movimentos. Traz ainda a importância de que as crianças vivam experiências com as diferentes linguagens, como a dança e a música, ampliando as possibilidades expressivas do corpo.

X

Gestão da sala de aula e estratégias de intervenção: como lidar com a indisciplina na escola

Nesta oficina abordaremos os diferentes estilos de aprendizagem, auxiliando assim a compreender possíveis dificuldades nesse processo. Descreveremos também como o professor pode investigar o que impede a compreensão e assimilação dos conteúdos e como tornar a gestão da sala de aula mais efetiva. Esse é um dos desafios de sala de aula: encontrar diferentes formas de abordar o mesmo conteúdo para que todos os alunos sejam contemplados nas suas especificidades e formas de aprendizagem.